You are currently viewing O mundo das miniaturas
Publicações sobre miniaturas diecast

O mundo das miniaturas

O mundo das miniaturas é fascinante. Quem nunca brincou de carrinho quando criança? E esse fascínio que surge na infância acaba se transferindo para o mundo adulto. Colecionadores no mundo todo estão sempre “caçando” os novos lançamentos, ou procurando aqueles carrinhos que marcaram a sua infância. Quem é colecionador entende muito bem isso.

O termo die-cast é derivado do processo de produção das miniaturas por fundição injetada, também conhecido por die casting. A fundição injetada é um processo no qual a liga de metal fundido é forçada sob alta pressão em um molde. É o mesmo processo utilizado para os produtos feitos de plástico. 

A maior parte das miniaturas são feitas de metal, plástico e borracha. O metal mais utilizado é o ZAMAK, que é uma denominação genérica para diversos tipos de ligas metálicas com ponto de fusão entre 385oC e 485oC . O nome vem de Zink-Aluminium-Magnesium-Kupfer ( zinco, alumínio, magnésio e cobre em alemão).

As miniaturas são produzidas em inúmeras escalas diferentes. Algumas das mais populares: 1/18, 1/24, 1/43, 1/64. Mas o que é escala? A escala representa quantas vezes a miniatura é menor do que o veículo real. Por exemplo, se um veículo tem 4,80m de comprimento, a sua miniatura escala 1/18 terá aproximadamente 26cm (4,80m / 18).
Quer entender melhor? Clique aqui para ler mais sobre escalas

Os primeiros fabricantes começaram a fabricar miniaturas no início do Século XX. Alguns dos primeiros fabricantes foram a Meccano (Dinky Toys) no Reino Unido e Dowst Brothers (Tootsietoys) nos Estados Unidos. Esses primeiros modelos eram bem básicos, sem interior e, pelo metal ser de baixa qualidade provavelmente devido a impurezas, ele se quebrava facilmente. Por isso é tão difícil encontrar miniaturas em boas condições fabricadas antes da 2a Guerra Mundial.

A Lesney começou a fabricar miniaturas diecast em 1947. A popular linha Matchbox 1-75 tinha esse nome porque havia sempre 75 modelos diferentes em cada série e porque eram embalados em uma pequena caixa que se assemelhava a uma caixa de fósforos (daí o nome: matchbox é caixa de fósforos em inglês). Na época, o nome se tornou tão popular que qualquer carrinho diecast era chamado de Matchbox.

Nos anos 50, a popularidade foi crescendo e mais marcas surgiram no mercado. Uma delas foi a Corgi, produzida pela Mettoy, que inovou fazendo miniaturas com interior e plástico transparente nas janelas. 

Em 1968 a Hot Wheels foi lançada nos Estados Unidos pela Mattel. A marca cresceu rapidamente, se tornando uma das mais vendidas no mundo, e batendo diretamente de frente com a Matchbox em popularidade.

Nos anos 70 vários fabricantes começaram a produzir miniaturas de caminhões e outros veículos comerciais tornando-se, rapidamente, muito populares. A Matchbox relançou sua linha Yesteryear produzindo várias versões do Ford T Van Y-12. A Corgi pegou carona e fez o mesmo no início dos anos 80, produzindo mais de 50 versões do caminhão Thornycroft, dos anos 20.

Nos anos 80 ficou aparente que havia uma fatia grande no mercado de adultos que estavam comprando miniaturas diecast como colecionáveis. Ao mesmo tempo, empresas como McDonald ‘s, Sears Roebuck, Kodak e Texaco estavam encomendando miniaturas com suas marcas para distribuírem como itens promocionais ou então, licenciando suas marcas para que os fabricantes pudessem explorá-las. Um dos primeiros exemplos disso foi o ônibus da American Airlines feito pela Matchbox, uma ideia rapidamente copiada pelas outras companhias aéreas. 

Porém, apesar da popularidade, muitos fabricantes faliram nos anos 80. Meccano (Dinky), Matchbox e Corgi encerraram suas fábricas no Reino Unido em um período de três anos, o que essencialmente refletiu o clima econômico na época, quando se tornou muito difícil para produtos manufaturados no Reino Unido competirem no mercado mundial. Na mesma época a Mattel já havia transferido a maior parte de sua produção para a Ásia. A Matchbox foi comprada por um conglomerado de Hong Kong, chamado Universal Holdings, que transferiu a sua produção para Macau. Ela acabou sendo vendida para a Mattel em 1997.

Das cinzas da falência da Matchbox surgiu Lledo, uma empresa criada por um dos ex-sócios da Matchbox, Jack Odell. Odell acreditava que as miniaturas ​​britânicas ainda podiam ser produzidas com lucro na Inglaterra. Lledo assumiu parte da fábrica de Matchbox e apresentou sua linha de miniaturas diecast “Models of Days Gone” (modelos do passado) em 1983. A primeira série de miniaturas da Days Gone incluía o relançamento de algumas das mais populares miniaturas da primeira e segunda geração da linha “Models of Yesteryear” da Matchbox. Os modelos Lledo eram itens colecionáveis ​​muito populares nos anos 80, levando a um período de diversificação (incluindo a linha Vanguards de veículos britânicos clássicos do pós-guerra). Porém, nos anos 90 eles foram engolidos ​​por outras marcas e, em 2002, decretaram falência. Partes de sua linha foram adquiridas pela Corgi, que transferiu a produção para a China.

A Burago (inicialmente Martoys), foi fundada em 1974 na Itália. Nos anos 90 a sua linha de miniaturas escala 1/18 teve um rápido crescimento e se tornou o principal fabricante a oferecer essa escala, oferecida inicialmente pela Schuco, Gama e Polistil.

Desde que as miniaturas de veículos se popularizaram, várias outras marcas surgiram como Greenlight, Johnny Lightning, Kyosho, Tomica, M2 Machines, Siku, Welly, Maisto, Jada, dentre outras. Algumas conseguiram se consolidar, outras desapareceram. Mas o que nunca se esgotou foi a paixão e fascínio de crianças e adultos, no mundo inteiro, por esse mundo fascinante dos veículos em miniatura.